Sat. Jun 15th, 2024

A Google divulgou uma nova versão da sua Política de Eventos Sensíveis para os editores, com o intuito de melhor lidar com anúncios e conteúdos relacionados a eventos globais delicados em suas várias plataformas.

A partir de fevereiro de 2024, uma política atualizada será implementada com o objetivo de definir de forma mais precisa o que é considerado um “evento sensível” para proibir certos anúncios e conteúdos exploratórios ou insensíveis. Embora o Google já possuísse políticas em vigor para anúncios e monetização no YouTube, essas restrições agora se expandem também para a rede de editores do Google.

Explicando a definição de eventos que são sensíveis.

Seguindo a política recentemente atualizada, um evento sensível é descrito como uma situação imprevisível ou surpreendente que apresenta um risco importante para a habilidade do Google de oferecer informações relevantes e de alta qualidade, ao mesmo tempo em que diminui a exposição e a monetização de conteúdo insensível.

Eventos que causam grande impacto social, cultural ou político são considerados sensíveis. Isso inclui situações de emergência civil, desastres naturais, crises de saúde pública, atos de terrorismo, conflitos ou violência em larga escala.

Durante essas ocasiões, o Google pode adotar ações para lidar com ameaças relacionadas à disseminação de informações falsas, fraudes e outras práticas prejudiciais.

Atividades de exploração proibidas

A política atualizada inclui práticas que são proibidas, como aumentar preços de forma abusiva, direcionar tráfego de forma inadequada e culpar a vítima em eventos sensíveis. O Google sempre teve políticas para evitar a exploração de eventos sensíveis visando lucros financeiros.

O Google se compromete a promover a publicidade de forma responsável.

A nova política do Google em relação a conteúdos inadequados para anúncios tem como objetivo encontrar um meio termo durante os acontecimentos globais mais importantes.

Leia Mais:   Qual é o motivo pelo qual o Google SGE está retido no Google Labs e o que está por vir?

De um lado, a empresa busca oferecer acesso a informações atualizadas e garantir receitas que sustentem conteúdos e serviços online. No entanto, o Google está enfrentando pressões cada vez maiores para restringir a propagação de informações falsas e o abuso em suas plataformas de publicidade.

Apesar de não serem políticas novas, o fato de o Google ampliar as restrições em anúncios e monetização do YouTube para editores demonstra o aumento dos esforços da empresa em limitar a exploração.

Os anunciantes e editores devem prestar muita atenção para garantir que sigam as políticas de mudança. Além disso, os usuários estão interessados em ver como as regras são aplicadas para remover anúncios prejudiciais nos momentos mais relevantes.

Imagem principal: Foto destacada do Shutterstock tirada por Chay_Tee.